Transição, por onde começar?

by - sexta-feira, maio 20, 2016


Nesse tempo de blog e transição, acabo conhecendo pessoas novas e sempre conversamos sobre assumir o cabelo natural, algumas até chegam a se perguntar se elas são capazes de passar por todo o processo até o BC. Gosto de conversar com essas pessoas porque me sinto muito útil em poder ajudar com um pouco do que sei, vamos aprendendo e ensinando, descobrindo texturas, formas de cuidados e as formas de lidar com as críticas.

Como já dissemos em nosso primeiro post, a transição capilar é muito mais do que deixar o cabelo natural crescer, ela é uma questão de autoconhecimento, as mudanças no seu cabelo são refletidas em algumas transformações que você passa por dentro, quando percebe que pode ser bonita sendo crespa ou cacheada, e que as críticas vão continuar sendo ignoradas porque as pessoas não precisam te dizer o que você deve ou não fazer, ainda mais se essa decisão não vai te deixar confortável.

A transição também começa quando você passa a querer uma mudança livre de modas e tendências, assumir o cabelo crespo não é, e nunca foi uma moda porque nós não passamos por isso para seguir um padrão, nós passamos por isso para se livrar do padrão que sempre foi imposto.

Minha transição começou de uma forma despretensiosa, queria deixar o meu cabelo natural para refazer o relaxamento porque meu cabelo estava fraco e não tinha mais resultados bons, eu gostava muito dele, mesmo com química. Mas quando comecei a espaçar os retoques do relaxamento, percebi que eu poderia dar uma chance em me ver de uma forma diferente e livre dessa dependência de ter os cachos mais soltos e com menos volume, foi então que tudo começou. Foram muitas descobertas, inspirações, ajuda, insegurança, medo, falta de apoio, e quando eu pensava em desistir, eu respirava e pensava que eu era mais forte do que todos os obstáculos e que eu iria conseguir e a cada dia que passava era um dia a menos para tudo acabar.

Acredito que a decisão é o primeiro passo pra todo esse processo começar, um processo que leva tempo mas quando a liberdade chega não tem tamanho. A partir do momento que você resolve passar pela transição, as questões começam aparecer, é diferente com todas, mas ao mesmo tempo, todas passam pelas mesmas situações, as que esperam um tamanho ideal para fazer o big chop passam por situações parecidas com aquelas meninas que resolvem raspar a cabeça. Procurem meninas que tenham histórias parecidas ou  textura parecidas com o seu cabelo, isso vai ajudar na hora de se inspirar. Mude sua rotina capilar, deixe lado as coisas que você fazia quando tinha química, deixa pra lá as chapinhas e busque formas de texturização, penteados, acessórios que te valorizem, foi assim que comecei amar turbante.

E nunca, nunca desanime por alguma crítica, eu recebi, todas nós recebemos e ouvimos aquelas famosas frases: "Seu cabelo é tão bonito, porque fazer isso com ele?" ou "Nossa, seu cabelo é muito crespo, não vai ficar bonito, talvez se ele fosse mais cacheado..."  Transição não é fácil e nem podemos dizer que tudo são flores, mas eu garanto que vale cada tempo gasto se estivermos totalmente satisfeitas e felizes. Lembrem-se que o importante é se sentir bem.

You May Also Like

0 comentários